Vai deixa de tristeza e deixa o sonho te levantar, acredite que é possível ainda hoje uma virada, acredite que tudo foi apenas um engano, mantenha a rota do seu barco da vida, não desista novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe... amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela é a sua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor, o responsável pela obra é sempre você! (Autor desconhecido)

domingo, 26 de junho de 2011

Heresia

Um suspense histórico que se desenrola na Inglaterra de 1583. Uma época em que as escolhas religiosas andavam junto com a política de governar. A Rainha Elizabeth da Inglaterra, protestante, é alvo de uma rede de conspirações para derrubá-la, motivo pelo qual todo o católico é considerado um inimigo, devendo ser eliminado. O Monge Italiano, Giordano Bruno, filósofo, cientista e estudioso de magia, suspeito de heresia, foge da inquisição, deixando para trás a ordem religiosa e a Itália. Em sua viagem pela Europa, a fim de salvar a própria vida, acaba sob a proteção do embaixador francês. Juntamente com seu amigo, Sir Fhilip Sidney, Bruno ruma em viagem para a renomada Universidade de Oxford, onde irá participar de um debate sobre as idéias de Copérnico. Mas não é apenas o debate que o leva até lá. Ele acaba sendo recrutado por Sir Francis Walsingham, ministro da rainha Elizabeth, com o objetivo de descobrir qualquer movimento católico. Porém, o que Bruno realmente almeja, é a oportunidade de procurar um livro muito antigo e proibido, que pode estar em Oxford. Em sua primeira noite na Universidade, um dos integrantes do corpo docente é brutalmente morto e sua atenção acaba sendo desviada de seus objetivos, uma vez que ele parece ser o único que acredita num assassinato. Bruno percorre a cidade em busca de respostas, se envolvendo numa rede de intrigas e traição. Outros homens são mortos, lembrando mártires católicos e confirmando suas suspeitas. Quem será o assassino, ou assassinos? Um grupo religioso perseguindo seus oponentes? Em meio a tudo isto, Bruno corre por sua própria vida e a de Sophia, filha do Diretor da Universidade, por quem nutre uma paixão.  



Sobre a autora
S. J. Parris é o pseudónimo de Stephanie Merritt. Nascida em 1974, colaborou como crítica e jornalista numa série de jornais e revistas, na rádio e na televisão. Atualmente escreve para o The Observer.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Enchanted Doll ou Boneca Encantada


A Artista Marina Bychkova, nasceu e viveu na Sibéria, na Rússia, até seus 14 anos de idade. Em 1997 sua família emigrou para Vancouver, no Canadá, onde vivi.

Sua necessidade de trabalhar com bonecos tornou-se evidente como uma chamada quando tinha seis anos de idade. Quando criança ainda percebeu estarrecida a  mediocridade e a apatia sem inspiração de bonecas produzidas em massa. Essa frustração profunda juntamente com sua sensibilidade natural, a inspiraram a criar seus   próprios bonecos, adaptando suas próprias ideias de beleza feminina.



No início, queria apenas brinquedos para brincar, mas em breve, o seu desejo de fazer bonecas evoluiu em sua própria paixão, e quando tinha dez anos, já não se preocupava com o que brincar e sim porque a concepção e a construção deles se tornou o jogo mais desafiador, intrigante e divertido de todos.

As primeiras bonecas foram vendidas para seus colegas de aula e somente aos 24 anos de idade decidiu se comprometer de maneira profissional com as bonecas. Sua formação de arte conceitual na Emily Carr Institute de arte e design, influenciou esta escolha, moldando a direção e as qualidades estilísticas do seu trabalho em sua forma atual. Inspirada em um curta, baseado em um conto do escritor americano Paul William Gallico (26 de Julho de 1897 – 15 de Julho de 1976), escolheu o nome dado a seu trabalho "Enchanted Doll".

Lindo o trabalho desta artista! Seus bonecos de porcelana articulada, têm uma expressão marcante e a imaginação flui solta na criação de roupas e acessórios. Com uma certa dose de sensualidade, as bonecas se destacam por uma riqueza de detalhes que ela mesma cria, inclusive roupas. Ainda bem que Marina se decidiu por fazer este trabalho profissionalmente, assim muito mais pessoas tiverem a oportunidade de conhecê-lo. Ela também personaliza a boneca até um certo grau sob encomenda. É um trabalho muito elaborado e mais direcionado para adultos.

Vejam que as poses das modelos (bonecas...rsrs) e fotos são de tanto bom gosto, que elas parecem querer falar com a lente do fotógrafo.











           
Se quiser acessar o site de Marina Bychkova clique AQUI 

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Dia dos Namorados

Para os enamorados irem se inspirando!


Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia

Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca, tardando-lhe o beijo, mordia
Quando à boca da noite, surgiste na tarde, tal rosa tardia
Quando nós nos olhamos, tardamos no beijo, que a boca pedia
E na tarde ficamos unidos, ardendo, na luz que morria
Em nós dois, nessa tarde em que tanto tardaste, o sol amanhecia
Era tarde demais, para haver outra noite, para haver outro dia

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza

Foi a noite mais bela, de todas as noites, que me adormeceram
Dos noturnos silêncios, que à noite de aromas e, beijos se encheram
Foi a noite, em que os nossos dois corpos cansados, não adormeceram
E, da estrada mais linda da noite, uma festa de fogo fizeram

Foram noites e noites, que numa só noite, nos aconteceram
Era o dia da noite, de todas as noites, que nos precederam
Era a noite mais clara, daquelas que à noite se amando, se deram
E entre os braços da noite, de tanto se amarem, vivendo morreram

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça e o meu corpo te guarde
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria ou se és a tristeza
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso, se é pranto
É por ti que adormeço e acordo e, acordado, recordo no canto
Essa tarde, em que tarde surgiste, dum triste e profundo recanto
Essa noite, em que cedo nasceste, despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo, para quem se quer tanto!

Poema de Ary dos Santos
 
Bj Jade.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Pacto Secreto

Valentina e Sara são irmãs gêmeas. Belas, ricas e donas de uma fazenda onde criam cavalos. Valentina é mais ousada e corajosa e Sara mais meiga e romântica. Uma gosta de desafios, enquanto a outra é mais reservada. Às vezes, por puro divertimento, as duas gostam de trocar de lugar. Durante um passeio na fazenda, as duas trocam de cavalo e Sara acaba se machucando seriamente e ficando tetraplégica. Valentina se afligi com a culpa, pois a troca foi sugestão sua e desde então a tristeza parece não ter mais fim. Seu amado pai já se foi alguns anos antes e agora, ela, sua mãe e sua irmã parecem estar sendo postas à prova. Já se passaram três anos desde o acidente e aos poucos, Valentina retoma sua vida. Depois de alguma insistência das amigas, ela resolve sair à noite, o que poderá ser o início de uma vida nova. A princípio ela julga que o rapaz no bar,  lindo de morrer e que não tira os olhos dela, é apenas uma paquera. Porém ao se sentar ao lado dele, Valentina verá que ele esconde bem mais sob aquela bela aparência...

[...]- Posso chamá-la pelo seu nome, Valentina?
- Como sabe meu nome? – me assustei, pensando se era algum trote das minhas amigas...
- Não tem nada a ver com elas.
Arranquei minhas mãos das dele e o questionei intrigada:
- Quem é você então?
- Quem você pediu – disse ele, me encarando como se estivesse buscando ler minha mente...
- Eu trabalho para o que você chama de Diabo.[...]

Valentina tem muitas perguntas e poucas respostas, mas a vontade de restaurar a saúde de sua irmã é tudo o que ela mais deseja. Mas o que acontecerá se ela firmar o pacto? Será a solução de seus anseios ou uma armadilha da qual não poderá mais fugir?


Confira a história envolvente desta mulher corajosa em Pacto Secreto, primeiro livro de Eliane Quintella, uma brasileira que começou a escrever ainda criança para o Jornal do bairro em que morava. Em sua infância era conhecida entre seus colegas pelas redações que escrevia. Quem estudou com ela no ginásio lembra-se de suas redações. Naquela época, ela já tinha a certeza de que queria passar toda sua vida escrevendo. A vida seguiu. Eliane formou-se em Direito, trabalhou, fez mestrado, trabalhou, fez cursos, trabalhou e nunca deixou de escrever. Até que um dia viu-se em casa, com o punho quebrado, por um mês inteiro. Era sua grande chance. Escreveria um livro. E, foi assim que animada começou o projeto do seu primeiro livro: Pacto Secreto, que é um pedaço do seu sonho, pois ele é ainda maior e repleto de livros. 

Visite o Blog de Eliane Quintella em  http://pactosecreto.wordpress.com/
Jade - Quais foram seus maiores desafios na hora de escrever Pacto Secreto?
Eliane Quintella - A pesquisa para elaboração do livro é um grande desafio. É preciso que o escritor mergulhe integralmente no universo do seu livro. E como sou curiosa gosto de querer saber sempre mais. Portanto, foi um desafio, prazeroso quero salientar, fazer toda pesquisa para o livro. E como a cultura é ampla não podemos nos limitar apenas aos livros, temos que assistir filmes sobre o tema, revistas, etc.

Jade - Quais seriam suas dicas para quem vai escrever o primeiro livro?
Eliane Quintella - Solte sua imaginação e escreva um livro que gostaria de ler mais de uma vez. 

Imagem de Mariana Britto
Sigo andando a passos largos...
...sem rumo e sem destino, apenas observando o que se passa e o que passou, o conhecimento traz prazer mas também traz dor.
Jade

Postagens populares