Vai deixa de tristeza e deixa o sonho te levantar, acredite que é possível ainda hoje uma virada, acredite que tudo foi apenas um engano, mantenha a rota do seu barco da vida, não desista novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe... amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela é a sua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor, o responsável pela obra é sempre você! (Autor desconhecido)

sábado, 28 de setembro de 2013

Elena Kalis




Seu projeto mais renomado é Alice in Waterland, inspirado na famosa obra literária Alice's Adventures in Wonderland, frequentemente abreviado para Alice in Wonderland (Alice no País das Maravilhas); obra mais conhecida de Charles Lutwidge Dodgson, publicada em 4 de julho de 1865 sob o pseudônimo de Lewis Carroll. O trabalho de Elena Kalis consegue ampliar este mundo fantástico de Alice, reforçando a ideia de sonho pela leveza e singularidade nos efeitos da luz sob a água. É um novo mudo sendo descortinado por suas lentes e visão artísticas. Neste ensaio, ela contou com a ajuda de sua filha de 12 anos, que interpreta Alice.

Entrevista com Elena Kalis (28 de agosto de 2012)


Elena Kalis nasceu em Moscow, Rússia e há 12 anos mora em uma ilha nas Bahamas com o marido e dois filhos. Trabalha com fotografia subaquática e faz trabalhos freelancer, além de se dedicar a outros trabalhos pessoais. Suas imagens foram publicadas em capas de revistas, sites, CD’s e livros. Ela conta que ela começou a fazer composições com a fotografia digital como arte, mas logo se interessou em fotografia como meio para ajudar a si. “Então posso dizer que sou uma artista que virou fotógrafa”, diz Elena.

Para a fotógrafa, o trabalho da imagem subaquática exige muito dos dois lados. Tanto para o modelo, quanto para a equipe de produção. Segundo ela, as sessões são muito curtas. Seus modelos mergulham em águas rasas e por uns segundos, prendem a respiração enquanto é confortável para eles. Ela diz que não é fácil encontrar modelos que estão aptos para realizar esse trabalho. Em seu processo de criação, pré-planejamento, conceito e ideias podem levar um bom tempo para serem utilizadas. “Eu costumo planejar como o que eu quero alcançar, mas é sempre uma surpresa o que vai acontecer no fim do dia, a fotografia subaquática é imprevisível”, constata a russa.


O amor pelo Oceano

Porque ela teve a ideia de fotografar mulheres submersas? De acordo com Elena, o ambiente subaquático tem certo significado para a fotógrafa, que é fantasioso, lúcido e global. Para ela, é um mundo diferente. “Eu gosto de como as coisas e as pessoas se movimentam debaixo d’água, os movimentos são graciosos e difíceis de alcançar na terra”, ressalta. O oceano é sua maior inspiração, é vasto e multifacetado. “Eu nunca me canso de olhar para ele”, pondera.

Além de fotografia, Elena também trabalha com videografia e pretende fazer mais trabalhos com vídeos no futuro. Até agora, ela só fez um curta-metragem que será parte do Visioneca film festival in autumn. Ela também gostaria de produzir um livro em 2013. Quando se fala de edição de imagens, ela trabalha em algo mais simples, como correção de cor e combinação de imagens.

Ela usa em Canon 5D Mark II e uma lente Canon 24-28mm. A dica que ela dá para quem quer se aventurar na fotografia subaquática é procurar bons modelos. Além de procurar lugares rasos, ir atrás de bons produtores, e adquirir um equipamento de mergulho para todos que estiverem envolvidos no trabalho. “É tudo questão de experimentar e se divertir”, finaliza.

Para Elena, com a internet cada um pode atingir várias pessoas em certo período. “É especialmente relevante principalmente para mim que moro em uma ilha com população de com apenas centenas de pessoas.” (matéria obtida no site Fotografia-DG, entrevista de Yasmine Farias) para acessar este site clique AQUI.

Site da fotógrafa e facebook http://www.elenakalisphoto.com/ 









Imagem de Mariana Britto
Sigo andando a passos largos...
...sem rumo e sem destino, apenas observando o que se passa e o que passou, o conhecimento traz prazer mas também traz dor.
Jade

Postagens populares