Vai deixa de tristeza e deixa o sonho te levantar, acredite que é possível ainda hoje uma virada, acredite que tudo foi apenas um engano, mantenha a rota do seu barco da vida, não desista novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe... amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela é a sua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor, o responsável pela obra é sempre você! (Autor desconhecido)

domingo, 27 de fevereiro de 2011

A Estrada da Noite

Uma lenda do rock pesado, Judas Coyne 54 anos, possui uma coleção particular de objetos grotescos e bizarros, sendo que muitos foram presentes de fãs. Porém, depois de saber através de seu assistente sobre um leilão, no mínimo inusitado,  num ímpeto resolve adquirir através da internet, o fantasma de um homem, que é simbolizado por um paletó antigo que pertenceu ao falecido. Judas que já não faz shows a bastante tempo, vive numa casa de fazenda, retirada e longe do público, junto com sua namorada gótica e dois cães pastores alemães. Passados alguns dias, Judas já nem se lembrava da compra, estava retornando de um passeio com os cães, quando se deparou com um caminhão de entregas, parado na entrada de carros, que trazia um pacote para ele. Quando o abriu, encontrou uma caixa no formato de um coração negro que trazia dentro o paletó. Ele não sabia porque, mas o paletó o havia deixado inquieto. Pôs a caixa na prateleira no fundo de seu closet e decidiu parar de pensar nela. O que de início pensou que fosse apenas mais uma excentricidade de sua parte, passou a ser motivo de apreensão, pois o fantasma realmente acompanhava o paletó, e não apenas se dispunha a aparecer para ele, como também parecia conhece-lo e ter um motivo para estar ali. Judas Coyne, que já era assombrado pelo seu passado, verá que existe muito mais por trás daquela compra e tanto ele como sua namorada, terão que por o pé na estrada antes que a estrada da noite os encontre.

Esse é o romance de estréia de Joe Hill (Joseph Hillstrom King), isto mesmo, filho de Stephen King! Provavelmente, como muitos outros filhos de pessoas famosas, Joseph deve ter usado esse cognome para não ter a aquela expectativa dos fãs e da crítica, comparando seu trabalho com o do pai. Na Wikipédia, é dito que seu nome foi escolhido como uma forma de homenagem ao anarquista sueco Joe Hill.

Gostei bastante do livro e achei que daria um ótimo filme e pelo visto não fui a única a pensar assim, pois li por aí que existe o projeto. Vamos aguardar e ver no que vai dar!

Imagem de Mariana Britto
Sigo andando a passos largos...
...sem rumo e sem destino, apenas observando o que se passa e o que passou, o conhecimento traz prazer mas também traz dor.
Jade

Postagens populares