Vai deixa de tristeza e deixa o sonho te levantar, acredite que é possível ainda hoje uma virada, acredite que tudo foi apenas um engano, mantenha a rota do seu barco da vida, não desista novamente, as pedras são apenas restos que a chuva trouxe... amar, viver, sonhar, acreditar, lutar e até o chorar, são fases que compõem o grande quadro chamado vida, onde a tela é a sua história, as tintas são as pessoas que passam por ela, mas, o pintor, o responsável pela obra é sempre você! (Autor desconhecido)

sábado, 14 de maio de 2011

O Vôo da Vespa

A Inglaterra está em guerra contra a Alemanha nazista, e os comandantes da Inglaterra não conseguem entender como seus aviões estão sendo abatidos de forma tão arrasadora. Eles precisam descobrir qual é o trunfo que os alemães escondem, antes que seja tarde demais e fiquem sem nenhum recurso. Neste meio tempo, longe da Inglaterra, em Sande uma ilha na Dinamarca, um grupo de espiões dinamarqueses intitulados Vigilantes Noturnos, observa em segredo o movimento dos nazistas em seu País. Alguns Dinamarqueses aceitam a ocupação de maneira neutra, devido a aparente tolerância dos alemães para com os cidadãos, mas outros se ressentem com o fato do País ter se rendido sem ao menos lutar. A espiã aliada Hermia Mount, uma mulher forte e de língua afiada, está na Inglaterra,  de onde comanda os Vigilantes Noturnos. Ela é noiva de um piloto Dinamarquês, mas devido a guerra, a muito tempo os dois não se vem, e ela é incumbida de tentar descobrir se existe alguma arma secreta nazista na Dinamarca, local estrategicamente favorável. As coisas  não saem como o esperado e algumas pessoas morrem em prol da causa. Hermia resolve ela mesma ir até a Dinamarca, no fundo sabe que também é movida pelo desejo de reencontrar seu noivo, mas muito mais que isto está em jogo. A União Soviética está sendo atacada pelos alemães e a Inglaterra precisa de um plano de ataque seguro, pois terão que usar quase todo seu efetivo aéreo para o combate. O cunhado de Hermia, Harald Olufsen, por uma jogada do destino esbarra com o radar alemão, que fica numa instalação militar próxima de sua casa e acaba se envolvendo neste jogo de espionagem de forma quase irresponsável, colocando sua própria vida em perigo para fazer algumas fotos do aparelho. Agora que está sendo procurado, sua única chance de escapar e chegar na Inglaterra com as fotos, é um avião Hornet Moth, entregue ao esquecimento e precisando reparos. Harald conta com a ajuda de Karen, filha do dono do avião e por quem nutre uma paixão secreta. Ela sabe pilotar o avião e os dois precisarão de muita coragem para seguir com o plano. 

Bom o livro, mas não me empolguei muito, gostei mais de Os Pilares da Terra, que se passa na Inglaterra da idade média.


 

Sobre o autor
Ken Follett, que é Considerado um dos mestres das tramas de suspense e espionagem,  nasceu na Inglaterra em 1949, estudou filosofia na University College, em Londres, e, após uma pós-graduação em jornalismo, começou a escrever no South Wales Echo, jornal de sua cidade natal, Cardiff. Três anos depois, quando trabalhava como repórter no London Evening News, lançou seu primeiro romance, The Big Needle, mas não obteve sucesso. Continuou escrevendo e somente ao lançar O buraco da agulha, em 1978, tornou-se conhecido e foi agraciado com o prêmio Edgar Award. A trama ganhou uma adaptação para o cinema, dirigida pelo conterrâneo Richard Marquand e estrelada por Kate Nelligan e Donald Sutherland.

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Imagem de Mariana Britto
Sigo andando a passos largos...
...sem rumo e sem destino, apenas observando o que se passa e o que passou, o conhecimento traz prazer mas também traz dor.
Jade

Postagens populares